A renda média do trabalhador piauiense subiu de R$ 1.919 para R$ 1.940, do primeiro para o segundo trimestre deste ano. A alta foi de R$ 21 na média, e não foi o suficiente para repor as perdas do ano passado até agora.

No mesmo período do ano passado, a renda média do piauiense era de R$ 1.970. As informações são da PNAD Contínua Trimestral, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O órgão separa os trabalhadores em três tipos: empregadores, empregados e por conta própria. 

Entre os empregados, a média salarial é de R$ 1.919 e houve o mesmo crescimento nominal (R$ 21) em relação ao trimestre passado. Agora, o valor se iguala ao mesmo período de 2018.

Maiores salários

Os empregadores, que somam 30 mil piauienses, compõem a categoria que recebe mais. A média é de R$ 4.259, mas caiu R$ 683 do primeiro para o segundo trimestre, revelando as dificuldades que os empresários ainda estão tendo neste momento de lenta recuperação econômica.

Entre os empresários formais, que têm CNPJ, os salários são maiores. A diferença é de R$ 1.440.

Empregadores com CNPJ: R$ 4.820
Empregadores sem CNPJ: R$ 3.380
Média geral dos empregadores: R$ 4.259

Funcionários públicos

A média salarial dos 119 mil funcionários públicos é de R$ 3.287. É a segunda maior entre todas as categorias. O salário caiu R$ 142 entre o primeiro e o segundo trimestre, mas está R$ 25 mais alto que o mesmo período do ano passado.

Nessa categoria, os servidores públicos (estatutários) e militares são os que têm a média salarial mais alta, R$ 3.441. Mas o valor caiu R$ 223 de um trimestre para o outro.

Setor público com carteira: R$ 3.200
Setor público sem carteira: R$ 2.128
Militares e funcionários estatutários: R$ 3.441
Média geral do setor público: R$ 3.287

Setor privado

Os trabalhadores formais, ou seja, com carteira assinada, são os que recebem melhor dentro dessa categoria. No setor privado, que emprega 300 mil piauienses, a diferença entre o formal e o informal é de R$ 533.

Setor privado com carteira: R$ 1.711
Setor privado sem carteira: R$ 1.178
Média geral do setor privado: R$ 1.541 

Os trabalhadores com carteira assinada no setor privado registraram alta de R$ 82 em relação ao primeiro trimestre do ano. E também é R$ 4 maior que o mesmo período do ano passado.

Trabalhador doméstico

Segundo o IBGE, atualmente há 40 mil trabalhadores domésticos no Estado. O salário médio da categoria é o mais baixo do Estado: R$ 693. Esse valor é menor que as duas comparações feitas (em relação ao mesmo período do ano passado são R$ 28 a menos e em relação ao primeiro trimestre desse ano são R$ 44 a menos). A informalidade também gera os piores salários.

Trabalhador doméstico com carteira: R$ 1.027
Trabalhador doméstico sem carteira: R$ 608
Média geral do trabalhador doméstico: R$ 693

Conta própria

Os trabalhadores por conta própria somam 259 piauienses. A média de renda é R$ 1.552, o que significa R$ 41 a mais que no primeiro trimestre e R$ 27 a mais que no mesmo período do ano passado.

Conta própria com CNPJ: R$ 2.109
Conta própria sem CNPJ: R$ 1.446
Média geral do trabalhador por conta própria: R$ 1.552


Via cidadeverde.com 

Dê sua opinião: