O Ministério da Saúde resolver incluir na lista de medicamentos do Sistema Único de Saúde (SUS) mais uma substância para o tratamento do câncer de próstata. A abiraterona poderá ser utilizada em pacientes em metástase após uso prévio de quimioterapia. O prazo máximo de oferta ao SUS é de 180 dias.

A recomendação da incorporação do medicamento foi feita pela Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no Sistema Único de Saúde (Conitec).

Para os pacientes em que a doença evolui, a primeira linha de tratamento é a terapia hormonal seguida por quimioterapia, já ofertados pelo sistema público e considerados tratamento padrão. No entanto, apesar de fornecer resultados iniciais positivos, essas linhas podem ser abordagens paliativas, e não curativas. Assim, após um período de tempo, a doença pode voltar a evoluir. Para esses casos, a abiratona poderá ser incluída como mais uma alternativa para controle do tumor.

O câncer de próstata é o mais frequente entre os homens, atrás apenas do câncer de pele. Na maioria dos eventos, a doença evolui de forma lenta e silenciosa, sem ameaçar a saúde do homem. Em outros casos, pode crescer rapidamente, se espalhar para outros órgãos, efeito conhecido como metástase, e causar a morte.

Dê sua opinião: