Foi assinado no início desta semana, no Palácio de Karnak, o Pacto Interinstitucional de Desenvolvimento Econômica, que visa integrar o poder público, instituições privadas e entidades do terceiro setor. O estado conta, atualmente, com 26 câmaras setoriais de várias áreas que têm realizado um forte trabalho em todo Piauí.

Com o plano, será possível uma maior integração entre poder público, privado e terceiro setor na ampliação de ações que tenham como objetivo desenvolver o estado. A partir de agora, as câmaras setoriais terão mais uma ferramenta que vai contribuir com esse desenvolvimento. Essa iniciativa visa solucionar problemas e entraves nas áreas do agronegócio, indústria, serviços e comércio.

O pacto tem uma grande importância. Estamos conseguindo reunir em torno de um mesmo objetivo todas as instituições que podem contribuir com o desenvolvimento econômico do Piauí. São instituições do setor privado, público e Sistema S dispostas a colaborar com os problemas identificados pelas 26 câmaras setoriais existentes hoje no Piauí. Durante quatro anos, elas fizeram um diagnóstico onde foi possível detectar algumas demandas específicas. Agora, vamos tratar disso com esse conjunto de instituições que aprovaram esse pacto por unanimidade", explicou o coordenador das Câmaras Setoriais, Sergio Vilela. 

Segundo o governador Wellington Dias, trata-se de um momento fundamental para nossa economia e que dará bons resultados. 

"Vamos reunir setores, órgãos, instituições para tentar solucionar e encaminhar com resultados o trabalho que é realizado há quatro anos pelas câmaras setoriais. Estamos otimistas", comemorou.

Segundo o vice-presidente da Câmara de Piscicultura, Evandro Aragão o pacto significa fortalecimento para a cadeia produtiva. 

Vamos fortalecer e retirar os gargalos existentes hoje na produção e comercialização do pescado. Queremos resolver o problema do insumo, que é a ração, tentar torná-la mais acessível aos produtores. O que mais precisamos hoje é de uma unidade de produção, subsídio de energia e licença ambiental. Acreditamos que com o pacto essas pautas sejam colocadas e resolvidas", disse.

Dê sua opinião: