O prefeito de Teresina, Firmino Filho, enviou à Câmara Municipal um projeto de lei que autoriza a iniciativa privada, através de licitação, a gerir os serviços de administração, manutenção, conservação, exploração comercial e requalificação dos terminais de ônibus e estações de passageiros vinculados ao Sistema de Transporte de Teresina, o Inthegra . O objetivo é reduzir os custos para o município com a manutenção dos espaços.

O projeto prevê ainda a exploração dos serviços de publicidade nos terminais pela empresa vencedora da licitação. A Superintendência Municipal de Transito (Strans) ficará responsável pela regulação e fiscalização. Quando tiver operando totalmente, o Inthegra terá oito terminais.

“A grande vantagem para a Prefeitura é que, ao invés de termos várias licitações e empresas contratadas, teremos apenas uma que prestará diversos serviços. No contrato, estarão previstas cláusulas de desempenho. Por exemplo, se um ar-condicionado apresentar defeito, a empresa terá um prazo máximo para fazer o conserto”, explica a secretária municipal de Concessões e Parcerias, Monique Menezes.

Segundo o projeto, não será permitida a cobrança de tarifa ou taxa de embarque e desembarque dos passageiros nos terminais ou das empresas concessionárias.

Ainda de acordo com a matéria, caso os estudos de viabilidade apontem a necessidade de receitas adicionais à exploração das áreas comerciais dos terminais, a prefeitura poderá prever no edital e contrato o pagamento mensal ao prestador de serviço.

Recentemente, o prefeito de Teresina anunciou que contratou uma consultoria externa para corrigir as falhas do Inthegra. O gestor admitiu que o sistema possui problemas e que a Strans não consegue dar uma resposta rápida sobre melhorias que podem ser implementadas. Segundo Firmino, os principais problemas hoje estão nas linhas alimentadoras e no gerenciamento dos terminais.


Com informações do cidadeverde.com

Dê sua opinião: