O empresário gaúcho Sadi Paulo Castiel Gitz atirou contra a própria cabeça durante uma solenidade na manhã desta quinta-feira (04), em um hotel da capital sergipana. O evento discutiria aspectos relacionados à produção e oferta de gás em Sergipe, as estratégias do Governo Federal e Estadual para a área, bem como a visão de instituições e empresas envolvidas no tema. No evento, estava presente o Ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque.

No momento, o governador de Sergipe Belivaldo Chagas se pronunciava. A informação é que ele teria se levantado e pronunciado “Belivaldo, você é um grande mentiroso”, em seguida atirou na própria cabeça.

Sadi Paulo Castiel Gitz

No mês de maio a fábrica de cerâmica, que Sadi era diretor presidente, localizada no município de Nossa Senhora do Socorro, na Grande Aracaju, deu início ao processo de hibernação. De acordo com a administração da empresa, isso representa uma perda de mais de 600 empregos diretos e indiretos. O motivo determinante para a hibernação, segundo a fábrica, foi o preço do gás cobrado pela Sergipe Gás (Sergas), empresa concessionária do Governo do Estado.

Por meio de nota, o governo do estado de Sergipe lamentou o ocorrido com o empresário Sadi Gitz, da cerâmica Escurial, que cometeu suicídio durante o evento. O Simpósio de Oportunidades para o novo cenário do gás natural em Sergipe está cancelado.

Quem era o empresário
Nascido em Porto Alegre, Sadi Gitz é graduado em Matemática, Engenharia Mecânica e Administração. Pós-graduado em Engenharia Naval e Engenharia de Segurança pela PUC do Rio Grande do Sul, com MBA em Gestão pela Fundação Getúlio Vargas. No serviço público atuou na Superintendência de Transporte e Trânsito (SMTT) e na Empresa Municipal de Serviços Urbanos (Emsurb). Ex-presidente da Associação Comercial e Empresarial de Sergipe (Acese), atualmente é diretor presidente da Cerâmica Sergipe S/A, fundada por ele em 1986.


Com informações do A8.

Dê sua opinião: