Os 09 vereadores de Monsenhor Gil aprovaram em primeira votação o pedido do prefeito João Luiz para a contratação de empréstimo junto ao banco do Brasil de R$ 1,5 milhão de reais. Com o questionamento de apenas um dos vereadores sobre a aplicação do dinheiro, o pedido foi aprovado e aguarda segunda votação que não deverá sofrer mudança com relação à primeira.

De acordo com o pedido encaminhado à câmara municipal, o crédito disponibilizado pelo Banco do Brasil por meio do Programa Eficiência Municipal.

O Programa do Banco Brasil é uma solução de crédito para o setor público. A linha permite o financiamento de projetos para cinco áreas essenciais da administração pública: saúde, educação, eficiência energética, modernização da gestão e infraestrutura viária. A iniciativa permite a contratação de até R$ 2 bilhões de crédito com os municípios e foi viabilizada pela Resolução do Conselho Monetário Nacional nº 4.563, de 31 de março de 2017.

Objetivo

Único a se manifestar sobre o objetivo do empréstimo, o Vereador Jacinto (PV), questionou o motivo do empréstimo e alertou que sem saber onde seria aplicado, o vereador disse que sem essa informação não seria possível a fiscalização.

“Como é que vai fazer empréstimo sem objetivo? Assim não terei como fiscaliza!”, disse o vereador que, apesar de questionar a aplicação, votou favorável ao empréstimo.

Milhões em conta

Durante a votação do pedido, o Vereador Evandro Abreu (PP), sugeriu que antes da segunda votação o prefeito João Luiz apresentasse qual a finalidade exata da contratação do empréstimo tendo em vista o vultoso valor guardado em conta e, até o momento, sem destinação exata.

“Se existe dinheiro em caixa, pra que contratar empréstimo”, questionou o vereador.

Balance aponta R$ 4,5 mi em conta

O balancete encaminhado e assinado pelo prefeito João Luiz à Câmara de Vereadores referente ao mês de maio, aponta que naquele mês o saldo em conta para o mês de junho era de R$ 4. 500.244,55 (quatro milhões, quinhentos mil, duzentos e quarenta e quatro reais e cinquenta e cinco centavos).

Ao tempo em que os valores em conta apontam uma inquestionável responsabilidade com o dinheiro público, também põe em dúvida a necessidade da contratação de empréstimo.

Líder do Prefeito

Ao defender a aprovação do pedido, a Líder do Prefeito na Câmara, Vereadora Eliane Moura, disse que o empréstimo é necessário, pois o dinheiro guardado na conta da prefeitura não pode ser usado para os fins específicos do empréstimo e ainda que o dinheiro contraído será usado, por exemplo, na construção de praças nas comunidades da Zona Rural.

Presidente rebate Líder

Em resposta à Líder do Prefeito, o presidente da Câmara, Vereador João Filho (PSD) alertou que em hipótese alguma esse dinheiro poderá ser usado em obras.

Discurso desalinhado

O alerta do Vereador João Filho aponta para um desalinhamento entre o executivo e o legislativo que, malgrado tenha aprovado o pedido do prefeito João Luiz em primeira votação, não sabem ao certo onde, como e quando o dinheiro será aplicado.

Segunda Votação

O pedido deve ser votado pela segunda vez na próxima sessão legislativa na Câmara Municipal de Vereadores.

Você pode assistir na íntegra à última sessão legislativa em que a matéria foi votada clicando aqui.

Dê sua opinião: