O Banco Central reduziu de 2% para 0,8% a previsão para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro em 2019. O dado está abaixo das estimativas do mercado financeiro. A pesquisa Focus, feita com mais de 100 bancos, aponta alta de 0,87% no PIB no período. 

No relatório trimestral de inflação, divulgado nesta quinta-feira (27), a autoridade monetária observou que "essa perspectiva de crescimento anual está condicionada ao cenário de continuidade das reformas e ajustes necessários na economia brasileira e incorpora expectativa de recuperação da atividade em ritmo crescente ao longo do restante do ano". Ou seja, se os ajustes não ocorrerem o desempenho do PIB pode ser ainda mais fraco.

Segundo o relatório do BC, a estimativa de inflação, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), recuou de 3,9% levemente acima da projeção feita em dezembro do ano passado, de 3,8%.

Crédito

No mesmo documento, o BC baixou de 7,2% para 6,5% a previsão de crescimento do crédito bancário neste ano. Em 2018, o estoque total atingiu R$ 3,26 trilhões, alta de 5,5%, depois de dois anos em queda.

Para pessoas jurídicas, a projeção de crescimento do crédito em 2019 caiu de 4,1% para 2,5%, enquanto para pessoas físicas foi mantida em 9,7%. “O desempenho do mercado de crédito a pessoas jurídicas reflete menor dinamismo da atividade econômica”, consta no relatório. 

Já a previsão para o crédito para pessoas físicas, segundo o BC, considera “a continuidade do crescimento das principais modalidades de crédito livre (veículos, crédito pessoal e cartão de crédito) em patamares próximo aos atuais”.

Dê sua opinião: