O ex-governador e presidente do PSB no Piauí, Wilson Martins disse que o partido não vai ficar fragilizado com a saída do deputado federal Átila Lira que foi expulso do partido por ter votado a favor da reforma da Previdência contrariando a orientação do Diretório Nacional.

Ele afirmou que o plano é seguir de cabeça erguida para conquistar os objetivos do partido, sobretudo, em 2020 que é um ano eleitoral. 

“O plano é prosseguir em frente de cabeça erguida, resistindo sempre, combatendo o bom combate. A virtude não está em conviver com a vida fácil, com bonança do poder e sim na conquista dos objetivos pela luta e pelo trabalho. A atividade política é muito instável. Ela é muito dinâmica e nem sempre você ganha ou está forte. Isso é absolutamente compreensível. Estamos tranquilos”, disse o ex-governador.

Entenda o caso

O Diretório Nacional do PSB decidiu expulsar Átila Lira do partido por 82 votos favoráveis. A deliberação foi tomada após o parlamentar ter votado a favor da reforma da Previdência na Câmara dos Deputados contrariando a orientação do PSB.

O deputado federal foi considerado reincidente no descumprimento de decisões da legenda já que em abril de 2017, votou a favor da reforma do então presidente Michel Temer (MDB) que alterou a legislação trabalhista. Além de Átila, que é coordenador da bancada do Piauí no Congresso, outros 10 parlamentares do partido desobedeceram à orientação partidária no primeiro turno e votaram a favor do texto que muda as aposentadorias. Em entrevista ao O Estado de S. Paulo,Átila Lira considerou a decisão “autoritária e opressora”.


Via GP1.

Dê sua opinião: