O governador Wellington Dias se reuniu, nesta quinta (09), com o presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Joaquim Levi. Em pauta, o destravamento de processos burocráticos que inviabilizam o pagamento de valores ainda não quitados pela União durante o processo de federalização da Cepisa, em 1997.

Na oportunidade, o chefe do executivo piauiense também pleiteou o apoio do BNDES na modelagem de projetos de parcerias público-privadas (PPPs). 

“O Piauí possui hoje uma carteira de investimentos de aproximadamente R$ 6 bilhões. São projetos complexos, realizados em parceria com o Governo Federal, que permitirão mais investimentos”, explica Dias.

A audiência ocorreu em meio a programação do 31° Fórum Nacional, do qual participaram do painel “Reforma da Previdência, Situação Macroeconômica” o governador do Piauí, o presidente do BNDES, os secretários especiais da Fazenda e da Previdência, Waldery Rodrigues e Rogério Marinho, além do presidente do Fórum Nacional e homenageado do dia, o economista Reis Veloso.

Piauí reclama R$ 860 milhões por federalização da Cepisa

Segundo dados apresentados pelo o Estado, o contrato que federalizou a Cepisa, em 1997, previa o pagamento de um montante ao Piauí caso a mesma fosse privatizada posteriormente, fato que se concretizou no ano passado, quando a autarquia foi comprada pela empresa Equatorial Energia. Os valores giram, atualmente, em torno de R$ 860 milhões e é resultado de dividendos contraídos pelo estado durante o processo de federalização.

Dê sua opinião: