Em situação indefinida em seus partidos, principalmente os que não conseguiram atingir a cláusula de barreira em 2018, muitos vereadores estudam uma maneira de antecipar suas filiações a outras agremiações. O intuito é acelerar os entendimentos em torno da renovação de seus mandatos na Câmara Municipal de Teresina (CMT), na eleição do próximo ano.

A proposta seria uma definição em consenso com as siglas de origem, facilitando uma troca partidária antes do período permitido pela legislação, em março de 2020. “Vamos, através dessas notificações extraoficiais, buscar os partidos para que eles possam nos dar uma definição para podermos trabalhar dentro da legenda que está de braços abertos para nos receber”, disse a vereadora Graça Amorim, que negociada sua ida para o Progressistas (PP).

Além dela, outros parlamentares municipais vivem situação adversa dentro de seus partidos e atuam, sem oficializar adesão, por outras siglas. É o caso do presidente da CMT, vereador Jeová Alencar, que mesmo ainda filiado ao PSDB, já anunciou sua adesão ao MDB, onde tem participado dos entendimentos em torno da disputa eleitoral.

Amorim ressalta que a antecipação deste processo, facilitado pelos partidos ao qual pertencem atualmente, viabiliza os entendimentos em torno da reeleição desses vereadores. “Chegaremos aos partidos com maior segurança e consistência, para que eles possam, efetivamente, dar credibilidade a nossa candidatura”, finaliza.


Via Portal O Dia.

Dê sua opinião: