O deputado estadual Franzé Silva (PT) formalizou nessa terça-feira (17), junto à mesa diretora da Assembleia Legislativa, uma acusação de quebra de decoro parlamentar contra a deputada Teresa Britto (PV). De acordo com ele, a parlamentar teria ofendido a honra dos colegas ao afirmar que os membros da base aliada são ‘subservientes’ ao governo do Estado. 

“A deputada Teresa Britto usou de desrespeito com todos os deputados da base, quebrando uma regra da casa. Pedi a abertura verbal, e pedi de forma escrita que o presidente toque esse processo para que a gente não deixe denegrir a situação de relacionamento entre os deputados. Aqui é um poder autônomo, e de forma nenhuma podemos permitir que esse tipo de declaração chegue como verdade à sociedade”, justificou Franzé.

O parlamentar também defendeu a necessidade de garantir a autonomia da Assembleia Legislativa, enquanto um poder autônomo. “A gente tem que ter o cuidado de manter a regra do parlamento. O respeito à posição de cada um, seja da minoria, seja da maioria, seja do partido do governador, seja da oposição. O que nós precisamos é ter clareza do respeito. Essa casa tem que debater, tem que ter o contraditório entre nós, mas não podemos de forma nenhuma desrespeitar uns aos outros”, defendeu. 

Teresa rebate

Ao comentar a acusação de Franzé, a deputada Teresa Britto afirmou que o parlamentar está sendo machista e tentando silenciar a voz da oposição. Ela nega ter desrespeitado os membros da base aliada do governo na Assembleia. 

“Eu vi como uma atitude machista, porque eu sou mulher, e ele acha que as mulheres devem ser submissas, querendo calar a deputada Teresa Britto. Somente isso. Ele quis foi cercear a minha fala, o meu direito de falar. Estou aqui legitimada pelo povo do Piauí. Não chamei o deputado de nenhum palavrão ou palavra de baixo calão. A minha voz ele não cala, porque esse mandato foi dado pelo povo do Piauí”, afirmou Teresa. 


Com informações do Portal O Dia.

Dê sua opinião: