Ex-deputado e “dançarino”, conversou coma equipe da Bancada Piauí desta quinta-feira (11). De cara Tererê disparou:


“O PSDB não me trata de maneira condigna com a minha representatividade no partido. Desse jeito não tenho como continuar no partido”.


Silvio Mendes

O ex-deputado disse que quando da sua candidatura a prefeito “da Parnaíba”, o partido não lhe deu apoio, inclusive, Silvio Mendes, à época prefeito da capital, teria declarado apoio a Zé Hamilton, candidato do PTB.

“Silvio é arrogante, não gosta de gente humilde como eu”, disse ele.


Zé Filho

Sobre a relação com o ex-governador Zé Filho, Tererê disse que se sentiu traído.

“Zé filho não cumpre acordo. Acreditei que ele ia apoiar minha candidatura e não apoiou”, disse ele.


Candidatos “da Parnaíba”

Para Tererê, além dele mesmo, apenas 04 candidatos tem reais chances de disputar nas eleições deste ano.

“Joãozinho da Unimagem, Dr. Hélio, Zé Filho e Zé Hamilton e eu mesmo, que terei mais votos que eles quatro juntos”, afirmou Tererê.


Saída do PSDB

Sobre a continuidade no PSDB, o ex-deputado diz que não permanecerá na sigla e que deve procurar um partido pequeno.

“Eu com o PSDB não vou a lugar nenhum. Eu quero ir para um partido pequeno”, pontou.


Luciano na fogueira

Tererê entende que a candidatura de Luciano Nunes, é na verdade uma manobra para garantir a vaga de Firmino Paulo na ALEPI.

“Pra salvar a vaga de Firmino Paulo, Firmino quer colocar Luciano na fogueira”

O ex-deputado parnaibano disse que só acredita que o PSDB apoia a candidatura de Luciano Nunes se Firmino Barrar a candidatura de sua mulher pelo PP e sair às ruas em apoio a Luciano.

“Firmino, saia as ruas em apoio a Luciano, tire sua mulher do PP. O senhor quer ascender vela pra Deus e uma para o diabo”, disse ele.


Mão Santa

Sobre a gestão do prefeito Mão Santa, em Parnaíba, Tererê disse ter pena, pois quem manda na prefeitura não é ele, e sim Gracinha e Zé Filho.

"Tenho pena do Mão Santa, tiraram ele do gabinete e colocaram na federação da indústria pra ficar mais fácil de manipular", finalizou ele. 


Por Mikeias di Mattos, da redação.

Dê sua opinião: