A greve de ônibus em Teresina chegou aos 100% na manhã desta quarta-feira (6). A medida foi tomada diante do atraso no pagamento dos salários dos trabalhadores do transporte coletivo da capital que, de acordo com o sindicato que representa a categoria, deveria ter sido pago nesta terça-feira (05)

"A orientação foi para que os trabalhadores fossem para as suas casas e quando o dinheiro for depositado, vamos rodar os 30% no novamente. Agora, não há nenhum ônibus rodando", disse Fernando Feijão, presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Transporte Rodoviários de Teresina (Sintetro).

Desde as primeiras horas da manhã desta quarta-feira (6), representantes do Sintetro visitam as garagens repassando informações sobre a proposta dos empresários que propuseram cerca de 4% de reajuste e dupla jornada de trabalho. A categoria reagiu e aguarda uma contra proposta. 

"Nós ainda estamos negociando. Essa proposta de trabalhar em dois turnos é uma regressão de 30 anos, uma escravidão moderna. Obviamente, isso foi reprovado pela categoria. Além disso, continuam com a proposta informal de 4% e os trabalhadores foram unânimes em não aceitar", explica Feijão.

Cerca de 1.700 trabalhadores compõem a categoria. Segundo Feijão, não há nenhuma reunião prevista. 

"Eles  (empresários) ficaram de se reunir e nos informar de qualquer nova proposta", reitera o sindicalista. 


Com informações do Sintetro | cidadeverde.com 

Dê sua opinião: