O senador Marcelo Castro, presidente estadual do MDB, afirmou nessa quinta-feira (5) que o partido tem outras opções de nomes, além do ex-deputado Dr. Pessoa (MDB) para a disputa pela Prefeitura de Teresina. Ele explicou que a decisão final só irá ocorrer no próximo ano.

Questionado se o partido está fechado com o nome de Dr. Pessoa, o senador explicou que existem outros nomes do MDB que também podem disputar a prefeitura.

“O MDB está certo de que será um partido competitivo para as eleições de 2020. Hoje os nomes que temos é do vereador Luiz Lobão, que é um grande nome, uma pessoa descente, vereador competente e foi presidente da Fundação Municipal de Saúde, bem conceituado e acreditado. Temos o presidente da Assembleia Legislativa, Themístocles Filho, que sempre fez política em Teresina e foi vereador da capital. Temos o nome do deputado Henrique Pires, que foi presidente da Funasa, que é um excelente parlamentar, e temos agora o Dr. Pessoa que recentemente se filiou ao MDB”, explicou.

Marcelo Castro disse que hoje o nome do ex-deputado Dr. Pessoa aparece mais forte na disputa na capital, mas deixou claro que a situação pode mudar até as eleições. O senador explicou que a legenda vai escolher o nome mais forte e se a situação de Dr. Pessoa não mudar, então ele deve ser o representante do partido.

“Se a escolha fosse hoje, honestamente, quem seria o candidato? Se eu perguntar, acho que a maioria da população iria dizer que é o Dr. Pessoa. É evidente que estamos falando de hoje, mas a escolha vai ser no final de julho do ano que vem. Então vão se manter as candidaturas dos que pretendem ser candidatos. O deputado Henrique Pires disse que vai manter a candidatura, o vereador Luiz Lobão pretende continuar com a sua, quando for em julho do ano que vem vamos ver o quadro. Se o quadro se manter inalterado, acho que o óbvio é lançar aquele mais competitivo, desde que preencha as condições essenciais de fazer uma boa gestão. Se continuar como está hoje, o candidato mais competitivo é o Dr. Pessoa”, afirmou o senador.


Via GP1.

Dê sua opinião: