O governador Wellington Dias esteve, nesta quarta-feira (11), em Brasília, reunido com o diretor do Banco Regional de Brasília (BRB), Paulo Henrique Bezerra, e o presidente da Agência de Fomento do Piauí, Luiz Carlos Éverton de Farias. Eles trataram sobre futuras parcerias que devem trazer mais investimentos para o estado do Piauí. 

“Acertamos com o Banco Regional de Brasília (BRB), na pessoa do diretor Paulo Henrique Bezerra, um termo de cooperação voltado para algumas áreas. Primeiro vamos atuar na área do microcrédito pelas regras do Banco Central. Vamos ampliar a capacidade de investimento dentro do Piauí, voltado para os pequenos produtores. De outro lado, também, o banco se dispõe a trabalhar junto com o Estado com um programa especial voltado para os servidores públicos”, explicou o governador. 

Ainda segundo Wellington, há ainda a possibilidade de se trabalhar um outro bloco que é na estruturação de um fundo de investimento e participações para médias e grandes empresas. 

“O objetivo é ser uma experiência, inclusive piloto, que vai alicerçar o FIP Nordeste que o Banco Regional de Brasília pode ser um importante parceiro e se coloca à disposição. Nós vamos ainda tratar sobre o assunto dentro do Consórcio Nordeste, então isso garante a movimentação econômica e financeira do estado, gerando emprego e trazendo bons resultados para o Piauí”, acrescentou Dias. 

De acordo o presidente da Agência de Fomento do Piauí, Luiz Carlos Éverton, o Banco Regional de Brasília (BRB) é uma instituição sólida e que está chegando ao Piauí para fazer uma parceria mais ampla com a Agência de Fomento, por meio de repasses de recursos para empréstimos. 

“O microcrédito, hoje, do Piauí, demanda um volume razoável de recursos por meio dos bancos comunitários. Eles gostaram da ideia e vão repassar recursos para nosso estado e também uma parceria mais ampla na questão dos cartões de créditos consignados para os funcionários públicos. Nós vamos também ajudá-los a trazer linhas de créditos do banco para aplicar no estado para as médias e grandes empresas, aquele perfil de empresa que nós não temos capacidade de atender porque a Agência de Fomento é focada só em pequenos negócios. É uma parceria perfeita que está se estabelecendo entre essas duas instituições”, concluiu Luiz Carlos. 

Dê sua opinião: