O ministro Gilberto Kassab (Ciência e Tecnologia e Comunicações) escolheu uma visita a Buenos Aires para confirmar que o PSD, partido que fundou e preside, vai escolher entre o ministro Henrique Meirelles (Fazenda) e o presidente do Sebrae Nacional, Guilherme Afif Domingos, como o candidato da legenda a presidente da República no próximo ano.

Guilherme Afif Domingos

Kassab concedeu entrevista a Gabriela Grosskopf Antunes, do jornal Clarín, divulgada integralmente em sua edição de língua portuguesa, durante sua passagem pela capital argentina.

Ele afirmou também que pretende disputar o governo de São Paulo, a menos que o senador José Serra (PSDB) se lance candidato. “Se o Serra sair candidato pelas relações que a gente tem, uma parceira muito sólida, eu não sairia candidato”, afirmou.

“Qualquer partido que tenha uma dimensão média ou grande como é o caso do PSD, tem que fazer um esforço para fazer uma escolha para um cargo majoritário. Então é evidente que haverá um esforço para que o partido tenha uma candidatura para presidente da República. Temos bons quadros”, avaliou.

Gilberto Kassab não escondeu seu desejo de continuar ministro até o fim de março, prazo para desincompabibilização, mas afirmou que o cargo pertence ao presidente. E chamou de "maldade sem qualquer fundamento" a fofoca segundo a qual ele teria pedido ao presidente Michel Temer para continuar no cargo para não perder o foro privilegiago.


Com informações do Diário do Poder. 

Dê sua opinião: