A Polícia Federal deflagrou nas primeiras horas da manhã desta quarta-feira (04) a Operação Peloponeso, com o objetivo de cumprir 11 mandados de busca e apreensão relacionados ao crime de desvio de recursos do Sistema Único de Saúde (SUS) na cidade de Teresina, Picos e Brasília-DF. Além dos mandados de busca e apreensão foi pedido o bloqueio de veículos e valores em contas e ativos financeiros, no valor aproximado de 14 milhões de reais.

As ações estão sendo coordenadas pelo delegado titular da Delegacia Regional de Combate ao Crime Organizado da Polícia Federal no Piauí, Albert Moura.

Os policiais estão realizando buscas em clínicas particulares conveniadas ao Sistema Único de Saúde, contra as quais há suspeitas de desvios de recursos públicos federais, conforme apontam fraudes no credenciamento de Centros Especializados de Reabilitação junto ao SUS, com o intuito de receber os recursos sem a contraprestação de serviços por parte das clínicas.

Ainda segundo a PF, os indícios apontam também desvio envolvendo recursos controlados pela Secretaria Municipal de Saúde de Picos, inclusive, com saques de dinheiro em agências bancárias com a finalidade de beneficiar empresários.

Participação de servidores públicos

As investigações apuram também o envolvimento de servidores públicos, com prejuízo calculado pelo TCU, até março de 2019, na ordem de R$ 17.678.712,69.

Participam da Operação Peloponeso 60 agentes federais dos estados do Piauí, Maranhão, Ceará e Distrito Federal, e também, auditores do Tribunal de Contas da União - TCU e do Departamento Nacional de Auditoria do SUS - DENASUS. Operação Peloponeso.

Logo mais, às 10h30, será concedida uma entrevista coletiva na sede da Polícia Federal, em Teresina.

Operação Peloponeso

O nome da Operação Peloponeso faz menção à disputa entre cidades na Grécia Antiga.


Via GP1.

Dê sua opinião: