Desde que a expressão “dinâmica” começou a ser usada para justificar conchavos e acordos políticos escusos, nunca se viu tanto dinamismo na política. No Piauí, mais precisamente na cidade de Picos, principal cidade do centro-sul e terceira maior do Estado, essa constatação ganhou força nesta sexta-feira (03).

Reprodução do Facebook: https://www.facebook.com/vereadorAfonsinho/photos/pcb.2206698586311494/2206698096311543/?type=3&theater

Um acordo feito entre o prefeito Pe. Walmir (PT), e o último remanescente da oposição, vereador Afonso Guimarães, o Afonsinho (Progressistas), atual vice-presidente da câmara de vereadores, culminou na indicação do irmão do vereador que já abandonou a oposição, Marcos Vinícius, para comandar a Secretaria Municipal de Agricultura e Abastecimento D’água.

Reprodução do Facebook: https://www.facebook.com/vereadorAfonsinho/photos/pcb.2206698586311494/2206697919644894/?type=3&theater

Assim, com a cartada, o petista Pe. Walmir acabou com a oposição da cidade Picos, aninhando no seu puxadinho todos os políticos que esbravejavam contra a gestão municipal.


Família unida na oposição e principalmente na situação

O vereador Afonsinho (Progressistas), e o irmão, agora Secretário, são filhos do ex-vereador, candidato a vice-prefeito derrotado em 2016 na chapa encabeçada pelo ex-prefeito Gil Paraibano, Antônio Afonso, o Galeguinho.

Durante os dois primeiros anos do atual mandato do prefeito Pe. Walmir, o vereador Afonsinho foi um dos principais críticos da gestão, conforme ele mesmo disse a um portal de notícias da cidade em fevereiro de 2019.

Imagem do matéria originalmente publicada na Folha Atual, de Picos.

“Eu fui o principal representante dos críticos da atual administração de Picos nos últimos dois anos”, afirmou.

Afonsinho teria se chateado pelo fato de, segundo ele, ter sido excluído pela oposição e que alguns vereadores estavam querendo lhe tomar a bandeira de opositor.

“Eu segurei a oposição praticamente sozinho aqui em Picos por dois anos, e agora pessoas que estavam aliadas ao padre querem tomar essa bandeira”, frisou.

Em outro trecho o vereador, agora aliado do prefeito, diz que o motivo da exclusão seria a boa avaliação de seu nome para uma possível candidatura a prefeito.

“Meu nome já vinha sendo falado pela população como possível candidato a prefeito, e isso cria ciúmes nas pessoas, por isso eles tem evitado a minha presença”, declarou.

Dessa água não beberei 

No dia 22 de dezembro de 2018, em publicação numa rede social, o vice-presidente da câmara de vereadores, Afonsinho, negou veementemente que tivesse interesse em deixar a oposição e menos interesse ainda em receber cargo em troca da mudança. De acordo com a publicação, o vereador disse que seria "oposição ferrenha ao prefeito”, pois “discorda da forma de administrar” do mesmo, ressaltando que seria fiel ao povo de Picos.

Reprodução do Facebook: https://www.facebook.com/vereadorAfonsinho/

Não recebi cargos e não os quero. Ressalto que serei oposição a atual administração da cidade; a minha fidelidade está, antes de tudo, com o povo de Picos.” Disse.

A afirmação do vereador foi reafirmada pelo irmão, agora secretário do prefeito Pe. Walmir, que chamou de “caluniadores, invejosos, despeitados, revoltados e mentirosos”, quem afirmou que Afonsinho deixaria a oposição.

Reprodução do Facebook: https://www.facebook.com/vereadorAfonsinho/

Ficou no passado

Foi também o vereador Afonso Guimarães que num passado recente fez sérias denúncias contra o prefeito Pe. Walmir, ao afirmar que prefeitura estaria devendo quase R$ 3 milhões para o Fundo Previdenciário do Município de Picos (Picos-Prev).

Reprodução do Facebook: https://www.facebook.com/vereadorAfonsinho/

Segundo a análise do opositor à época, “isso é muito perigoso porque é o futuro dos servidores que está em jogo. É uma coisa que não pode acontecer. Saliento que já denunciei esse absurdo ao Ministério Público Estadual (MPE)”, disse.

O vereador não se pronunciou mais sobre a denúncia.  


O prefeito agora é bom

Contrariando os discursos dos últimos dois anos, o vereador Afonsinho emplacou o irmão, Marcos Vinícius, na Secretaria Municipal de Agricultura e Abastecimento D'água de Picos, na gestão do prefeito que dizia não concordar, colocando-o em suspeição a todo tempo em discursos na tribuna da câmara e em publicações nas redes sociais. 

Em seu discurso de posse, o agora secretário disse que trabalhará como “homem de Deus”, mesmo sabendo que segundo o manual de fé dos cristãos evocado por ele, a bíblia, não se pode agradar a dois senhores.


A repercussão

Nas redes sociais, a repercussão entre os eleitores e admiradores do vereador Afonsinho não poderia ser pior. Os comentários deixam claro a insatisfação e principalmente o alerta de que o vice-presidente da câmara de vereadores de Picos perdeu eleitores.

Reprodução do Facebook: https://www.facebook.com/vereadorAfonsinho/

Por Mikeias di Mattos, da redação.

Dê sua opinião:


folder_openMais conteúdo sobre